Patrocínio

Palmeiras é condenado a pagar mais de R$ 70 milhões para a Samsung por quebra de acordo

Firmado no início de 2009, o contrato com a Samsung rendia aos cofres do Verdão R$ 15 milhões por ano

Palmeiras é condenado a pagar mais de R$ 70 milhões para a Samsung por quebra de acordo
Foto: Reprodução

23 de fevereiro de 2024

2 minutos de Leitura

Palmeiras foi condenado a pagar mais de R$ 70 milhões à Samsung por quebra do contrato de patrocínio. Apesar da decisão não ser definitiva, a análise judicial já passou tanto na primeira quanto pela segunda instância.

Em 2010, a equipe durante a gestão do Presidente Luiz Gonzaga Belluzzo, comunicou que iria romper o acordo com a marca de eletrônicos, válido até dezembro de 2011, para assinar com a Fiat. A oferta da montadora italiana foi de R$ 26 milhões por um contrato de um ano e meio.

Firmado no início de 2009, o contrato com a Samsung rendia aos cofres do Verdão R$ 15 milhões por ano.

Depois de ser comunicada pelo Palmeiras, a empresa sul-coreana recorreu à justiça cobrando pela quebra de contrato. O veredito em primeira instância veio em 2021, gerando punição ao clube. A agremiação teria que pagar pouco mais de R$ 3,5 milhões na rescisão unilateral, R$ 9 milhões por quebra de confidencialidade e por danos materiais indiretos mais R$ 4,75 milhões.

O departamento jurídico recorreu à segunda instância e conseguiu a retirada da punição por danos materiais indiretos. As outras duas outras decisões foram mantidas.

“A última vez que o Palmeiras rompeu unilateralmente um contrato de patrocínio, e não foi na minha gestão, hoje tenho um processo judicial de mais de R$ 50 milhões. Temos de ser responsáveis, não estou aqui para aparecer com discurso bonito para torcedor e imprensa. Todas as questões de patrocínio são simples. Tenho que cumprir o contrato. Com qualquer patrocinador”, comentou Leila Pereira em entrevista.

Compartilhe