Protagonismo feminino guia investimentos da Neoenergia no esporte

Com time de embaixadoras e patrocínio à CBF, empresa busca alcançar posição de liderança e explorar outros territórios

fevereiro 5, 2024

Liderança e notoriedade são pilares que a Neoenergia busca ao fazer forte investimento no esporte desde 2021. Prova disso, é que a marca entra neste ano olímpico com um time de embaixadoras e o seu já reconhecido patrocínio à CBF, também exclusivamente focado na categoria feminina.

Atualmente, como líder do setor de energia no país, a empresa tem utilizado o esporte para trabalhar o viés da igualdade de gênero, e a música como território para levar ao público a importância da conscientização ambiental.

“O futebol feminino é uma excelente ferramenta de comunicação. No Brasil se tem duas grandes plataformas de diálogo com a sociedade: o esporte, onde trabalhamos o viés da igualdade de gênero e a importância do espaço feminino, e a música, onde buscamos dar ênfase à descarbonização, que tem grande relevância na conscientização ambiental”, disse Lorenzo Perales, diretor de Marketing da Neoenergia, em entrevista ao Lideranças, o podcast do MKTEsportivo.

Com quase 500 mil seguidores no Instagram, a Neoenergia é, de longe, a marca do segmento elétrico mais forte e atuante no digital. Esta força, inclusive, tem sido utilizado pela marca como forma de conexão com o público, além de dar voz aos ativos que hoje fazem parte do seu portfólio.

“Buscamos nos conectar com o mundo digital, da sustentabilidade e com a questão da igualdade de gênero. As companhias são feitas para ganhar dinheiro, mas é necessário que tenham um propósito para estabelecer conexão com a sociedade. Além de oferecermos um bom produto, temos que ter um relacionamento face to face com o cliente”, acrescentou.

Jogos Olímpicos de Paris

O foco em investir no esporte feminino e promover a equidade de gênero reflete na construção do Time Neoenergia, formado exclusivamente por mulheres.

Primeira mulher brasileira a conquistar o ouro olímpico em águas abertas, Ana Marcela Cunha representou o mais recente investimento da marca para o Time, que também conta com a campeã brasileira de ciclismo de estrada e de contrarrelógio, Ana Vitória Magalhães; a tetracampeã mundial de kitesurfe, Bruna Kajiya; e a bicampeã Sul-americana nos 3.000 metros com obstáculos no Sub-23, Mirelle Leite.

“Começamos trabalhando com vários perfis de atletas, a ciclista campeã brasileira Ana Vitória Guimarães, Bruna Kajiya do Kitesurf e com a Mirelle Silva, que pode ser a primeira mulher de origem indígena a participar dos Jogos Olímpicos de Paris”, destacou Lorenzo.

“Nós, quanto empresa, nos sentimos orgulhosos em ter embaixadoras representando o país nos Jogos Olímpicos. Temos o compromisso em apoiar e proporcionar alegria para nossas atletas. A nossa empresa, o nosso segmento, se identifica com a perseverança e a entrega que estão presentes no esporte”, completou.

Seleção Brasileira e naming rights do Brasileirão Feminino

Em junho de 2021, a Neoenergia anunciou o primeiro patrocínio exclusivo para as seleções brasileiras femininas em toda a história da modalidade no país. O contrato também contempla, até hoje, os naming rights da Série A1 do Brasileirão Feminino (Brasileirão Feminino Neoenergia).

Os acordos, segundo o executivo, posicionam a empresa como líder do seu segmento, além de fortalecer a imagem institucional da mesma e ampliar o alcance para outros setores da sociedade.

“O contrato da CBF está baseado na notoriedade. O nosso objetivo era fortalecer a marca também fora de nosso segmento. Tínhamos duas possibilidades: investir muito dinheiro em diversos players ou comprar uma plataforma de conteúdo presente em grandes veículos”, detalhou.

“Com o naming rights do Brasileirão Feminino temos o objetivo de mostrar que somos a grande companhia do setor de energia, além de ocupar a liderança no segmento e conquistar cada vez mais notoriedade”, finalizou.

Compartilhe: