Santander investe no skate e comemora entrada no Guinness com a pista mais alta do mundo

Pista do 21, localizada dentro do edifício do Farol Santander, em São Paulo (SP), fica a 83,14 metros do solo

fevereiro 7, 2024

O banco Santander entrou no Guinness World Records com a pista de skate que fica dentro do edifício do Farol Santander, em São Paulo (SP). Trata-se da mais alta do mundo, a 83,14 metros do solo.

Batizada de Pista do 21, por ficar no 21º andar do prédio, a pista é operada atualmente pela Rajas Skatepark. Inaugurada em 25 de janeiro de 2022, o local oferece sessões e aulas de skate individuais e coletivas, com metodologia própria homologada e equipe certificada pela Federação Paulista de Skate (FPS), mediante reservas pelo site do Farol Santander São Paulo.

A pista foi construída com a mesma superfície utilizada nas maiores competições mundiais e tem aproximadamente 300 metros quadrados, com copings e cantoneiras de ferro, transições, wallrides, corrimões, palcos, caixotes, quarters e rampas com diversas alturas e inclinações.

Para o recorde, o Farol Santander São Paulo submeteu uma extensa documentação ao Guinness World Records, que incluiu plantas e diagramas do edifício, capturados a partir de vários ângulos para determinar com precisão a altura total da estrutura.

Além disso, foi fornecida uma planta do edifício vista de cima, destacando suas dimensões, e diversas documentações sobre o 21º andar, incluindo medidas, cortes, vistas e diagramas detalhados do prédio, com uma análise minuciosa andar por andar.

O Farol Santander São Paulo apresentará, até 24 de março, a exposição Anatomia Skate. Aberta em dezembro de 2023, a mostra conta com curadoria de Cesar Gyrão, fundador da revista Tribo Skate, de 1991.

A exposição apresenta mais de uma centena de itens relacionados a essa manifestação cultural que se tornou muito mais do que um esporte, um entretenimento e um estilo de vida, atingindo até o status de modalidade olímpica, com estreia nos Jogos de Tóquio 2020, que foram disputados em 2021 por conta da pandemia de Covid-19.

Compartilhe: