Indústria

Valeskinha, medalha de ouro em Pequim 2008, é a nova integrante da Comissão Mulher no Esporte do COB

Entidade anunciou também a criação de um Grupo de Trabalho, composto por representantes da área Mulher no Esporte e do Laboratório Olímpico, para discutir a performance da mulher atleta

Valeskinha, medalha de ouro em Pequim 2008, é a nova integrante da Comissão Mulher no Esporte do COB
Foto: Curitiba Vôlei

08 de março de 2024

2 minutos de Leitura

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) aproveitou o Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta sexta-feira (8), e anunciou a chegada de Valeska Menezes, a Valeskinha, campeã olímpica de vôlei em Pequim 2008, à Comissão Mulher no Esporte da entidade.

“Minha expectativa é ajudar com minha experiência e aprender ouvindo as experiências das outras envolvidas. A Comissão Mulher no Esporte, para mim, é algo que deveria ter em outras organizações. É ótimo quando vemos o COB buscar promover a igualdade de gênero e criar espaços para discussões relevantes”, disse Valeskinha.

“O esporte feminino no Brasil tem progredido, a visibilidade aumentou, mas os desafios persistem. Ainda há um longo caminho a percorrer para igualdade de oportunidades”, afirmou a jogadora de 47 anos, que ainda atua pelo Curitiba Vôlei.

O COB ainda oficializou a criação de um Grupo de Trabalho (GT), que será composto por representantes da área Mulher no Esporte e do Laboratório Olímpico, para discutir a performance da mulher atleta.

A entidade fará uma atualização dos profissionais de ciências do esporte do Time Brasil, com base nos estudos mais recentes que tratam do desempenho esportivo feminino no alto rendimento. Entre eles, as que abordam a propensão de mulheres a lesões de ligamento cruzado anterior.

“O COB tem uma atenção especial e é referência no mundo todo no que diz respeito à saúde da atleta, principalmente com a ginecologia do esporte. Agora, estamos dando um passo importante em relação à performance, que vai além da saúde. Existe um movimento internacional que fala sobre ‘treinar mulheres como mulheres’, já que o conhecimento científico que temos em relação ao treinamento esportivo é baseado em pesquisas com homens. Agora, vemos um aumento de estudos específicos com mulheres”, comentou Taciana Pinto, gerente de desenvolvimento e da área Mulher no Esporte do COB.

Kenji Saito, diretor de desenvolvimento esportivo e ciências do esporte do COB, explicou que o conhecimento produzido a partir das discussões do GT será “compartilhado com as confederações, clubes e todos os interessados na temática”.

Compartilhe