Indústria

Visando controle do calendário de tênis, Fundo Soberano da Arábia Saudita oferece US$ 2 bilhões

A proposta visa adquirir os direitos para a realização de um novo torneio Masters 1000 no início do ano

Visando controle do calendário de tênis, Fundo Soberano da Arábia Saudita oferece US$ 2 bilhões
Foto: Getty

13 de março de 2024

2 minutos de Leitura

Com diversos investimentos no esporte, não é mais surpresa ver o Fundo Soberano da Arábia Saudita (PIF) realizar movimentações valiosas na indústria.

De acordo com o jornal “Telegraph“, o fundo de investimentos do país fez uma proposta de 2 bilhões de dólares (cerca de R$ 10 bilhões) para mudar o atual calendário do esporte.

A oferta foi divulgada pelo presidente da ATP, Andrea Gaudenzi, durante o torneio de Indian Wells, nos Estados Unidos. O valor apresentado visa adquirir os direitos para realizar um novo torneio Masters 1000 no início do ano, antes do Australian Open, primeiro Grand Slam da temporada.

Além disso, a proposta também viabilizaria a unificação dos circuitos comandados por diferentes empresas, a ATP (homens) e a WTA (mulheres). Sendo assim, a prioridade seria a realização de eventos para ambos, e os direitos de transmissão seriam negociados de forma conjunta.

Segundo o “The Athletic“, a proposta saudita é menor, se trataria de US$ 1 bilhão (R$ 5 bilhões), e inclui patrocínios, aumento no valor das premiações e o desenvolvimento de um circuito para veteranos.

Entrave

Caso o novo modelo seja implantado, o novo calendário do tênis seria rebatizado como PIF Tour, e apresentaria uma oferta unificada pelos direitos de transmissão.

O principal entrava para a união dos circuitos de tênis é o fato de que a ATP arrecada substancialmente mais do que o circuito feminino. Enquanto o masculino arrecada £ 238 milhões, a WTA fatura £ 90 milhões.

Compartilhe