Indústria

Inter lança campanha e joga com o uniforme sujo de lama

Minutos antes da bola rolar, o clube lançou a campanha "Marcas da Enchente" em alusão à realidade enfrentada pelo Rio Grande do Sul

Inter lança campanha e joga com o uniforme sujo de lama
Foto: Ricardo Duarte/Inter

29 de maio de 2024

2 minutos de Leitura

Na última terça-feira (28), o Internacional enfrentou o Belgrano, pela Sul-Americana, com o uniforme com marcas de lama. Minutos antes da bola rolar, o clube lançou a campanha “Marcas da Enchente” em alusão à realidade enfrentada pelo Rio Grande do Sul, afetado pelas inundações.

As camisas utilizadas pelos jogadores foram assinadas por todos os atletas e estarão disponíveis em leilão virtual, com 100% do lucro revertido para ajudar na reconstrução do estado.

De acordo com o departamento de marketing do clube, o uniforme representa a luta de um povo “incansável, aguerrido e esperançoso”. Além disso, o manto homenageia o esforço de voluntários de todo o país, que entraram nas águas, na lama, para auxiliar com amor e solidariedade jamais vista.

Outra ação de ontem, Alan Patrick, capitão do Internacional, jogou com a braçadeira roxa, com os dizeres “Jogando Juntos”. A iniciativa conta com a parceria do Grêmio e do governo do Rio Grande do Sul.

“O Inter teve que sair do Rio Grande do Sul para jogar, mas a realidade gaúcha está na mente e no coração de todo o Clube. E agora também está marcada em nosso uniforme. É por isso que o Inter está entrando em campo hoje contra o Belgrano, pela Copa Sul-americana, com o uniforme todo embarrado, cheio de lama: para que o Brasil não esqueça a realidade do Estado e destes jogadores que foram obrigados a enfrentar ao maior desastre ambiental da história do país, que afetou diretamente suas vidas e tirou deles a possibilidade de treinarem e jogarem no seu estádio e na sua cidade, ao lado da sua família, dos seus amigos e na frente da sua torcida”, declarou o Internacional através de comunicado.

“Este uniforme representa a luta de um povo incansável, aguerrido e esperançoso. E, também, o esforço de voluntários de todo o país, que entraram nas águas, na lama e na vida de muitas cidades com amor e solidariedade jamais vistas”, complementou a nota.

Foto: R Duarte/Inter
Compartilhe