Coluna

Por que agora? Demanda por DAM cresce entre os grandes clubes brasileiros; Entenda o motivo

Já passou a época em que os times dependiam só da mídia em massa para fazer anúncios e se manterem conectados ao seu público.

Por que agora? Demanda por DAM cresce entre os grandes clubes brasileiros; Entenda o motivo

18 de junho de 2024

4 minutos de Leitura

Adalberto Generoso
Adalberto Generoso
CoFundador e CEO da Yapoli, empreendedor serial com mais de 10 anos de experiência em tecnologia, marketing e digital e vencedor de 3 Cannes Lions.

É fato que as torcidas sempre foram os maiores ativos dos clubes de futebol. Por isso, as instituições esportivas precisam estar atentas o tempo inteiro aos principais canais de diálogo com os seus torcedores, de forma que estabeleçam uma boa comunicação tanto com os jovens que começaram a acompanhar o esporte recentemente quanto com os fãs de longa data.

Atualmente, a maior via de contato entre esses dois mundos é o ambiente digital. 

Já passou a época em que os clubes dependiam só da mídia em massa para fazer anúncios e se manterem conectados ao seu público. O universo futebolístico se complexificou e há uma necessidade latente de que essas instituições pensem realmente como empresas.

É claro que essa tendência não foi totalmente premeditada por todas as equipes – o que explica o fato de muitas delas não estarem com os caixas em dia. A demanda pelo amadurecimento digital só vem sendo suprida por aquelas que possuem uma visão de negócio e um olhar para uma geração de receita a longo prazo. 

Dentro desse contexto, fica muito mais fácil identificar quais são os clubes de ponta do Brasil, não só no que se refere aos resultados esportivos, mas também empresariais. Estamos falando aqui, principalmente, de Flamengo e Palmeiras.

Esses são exemplos de instituições esportivas que entenderam como tratar os seus materiais digitais. Cada vídeo, imagem, documento, arquivo ou apresentação se torna um conteúdo valioso que, se bem explorado, pode trazer os seguintes benefícios:

  • Permitir a perpetuação do legado do clube, já que a digitalização do acervo garante a preservação de sua história e facilita o acesso a materiais valiosos para futuras gerações e iniciativas de marketing;
  • Ajudar a aumentar a capacidade de comunicação digital, afinal, quanto mais materiais à disposição das áreas de comunicação e marketing, maior a capacidade de criar publicações e interações que engajem os torcedores; 
  • Promover a criação de projetos digitais em escala, como programas de sócio-torcedor, serviços de streaming e desenvolvimento do site e das redes sociais, os quais oferecem conteúdos exclusivos e de alta qualidade à torcida;
  • Trazer novas fontes de renda, visto que a comercialização de vídeos, imagens de jogos e outros eventos para os canais de TV e a imprensa atribui mais rentabilidade ao acervo digital das equipes.

Como os clubes podem se desenvolver digitalmente?

O primeiro passo para os clubes serem efetivos em sua comunicação digital é garantir o domínio sobre todo o seu acervo e materiais novos que são difundidos para o mercado. Para isso, esses conteúdos precisam ser centralizados, organizados e classificados a partir de uma única fonte, permitindo um fluxo cíclico com a área de marketing. 

Sem dúvidas, o maior exemplo de equipe brasileira que soube criar uma estrutura como essa é o Flamengo. Em 2022, o Rubro-Negro contratou uma solução DAM (Digital Asset Management ou Gestão de Ativos Digitais) e, desde então, vem gradualmente digitalizando todo o seu acervo histórico, inclusive promovendo melhorias ao integrar a plataforma com a Inteligência Artificial (IA). 

Com esse movimento, todas as áreas de marketing e comunicação do clube carioca estão sendo constantemente retroalimentadas com materiais digitais, sempre priorizando a monetização, governança e cibersegurança das operações. Além disso, os conteúdos passaram a ser disponibilizados para as entidades terceiras com mais rapidez e eficiência, como patrocinadores, imprensa, lojas, dentre outras. 

Outro caso semelhante é o do Palmeiras. Recentemente, o Alviverde estabeleceu uma parceria com a Adobe para desenvolver o seu ecossistema digital.

E essa tendência não deve parar nesses dois exemplos. Gerenciar materiais digitais é o principal caminho para as instituições esportivas se destacarem junto à sua torcida e no mercado em que estão inseridas, com uma lógica de crescimento que não envolve apenas o que acontece em campo. 

O futebol é uma paixão nacional, mas, na atual realidade, o amor da torcida pelo seu time do coração só pode ser reforçado e engajado com uma tomada de decisões estratégica por parte dos gestores dos clubes. Esse é o nível de importância do aumento da presença no ambiente digital no esporte.

Compartilhe