Indústria

O avanço da Mediapro no futebol francês deixa o Canal+ com futuro incerto

Grupo espanhol adquiriu os principais direitos de transmissão da Ligue 1, enquanto o canal francês perdeu espaço

29 maio, 2018

A Mediapro pode ser considerada a grande vencedora do leilão pelos direitos de transmissão da Ligue 1 para o período de 2020/2024. A Liga de Futebol Profissional (LFP) do país anunciou esta semana que a rodada de negociações gerou um faturamento de € 1.153 bilhão, aumento de quase 60% em relação ao contrato anterior.

O grupo espanhol desbancou o histórico parceiro de mídia da liga, o Canal+, e levou três dos sete pacotes disponíveis, sendo eles o 1, 2 e 4, considerado os mais atraentes da Ligue 1. Ele contempla jogos na noite de sexta, na tarde e noite de domingo. Neste último caso, a Mediapro ficará com uma partida da rodada das 13 horas, feita para impactar a audiência do mercado asiático, um dos alvos do canal.

O BeIn Sports, que até então dividia a maioria dos direitos com o Canal+, perdeu espaço e ficou com o lote 3, que inclui os jogos de sábado à noite e domingo à tarde. Para muitos analistas do futebol local, o canal francês poderá ver um afluxo de metade dos seus assinantes sem grande parte dos direitos da elite francesa. A saída, segundo eles, será focar na aquisição de filmes e séries. Caso a Mediapro aceite negociar alguns de seus direitos, provavelmente sairá muito mais caro.

Pelos lados da espanhola, que adquiriu os direitos da Serie A italiana e também da LaLiga, o objetivo será acelerar o lançamento de um “grande canal esportivo focado 100% em futebol“. A novidade deverá chegar ao mercado um período de dois anos e deve embarcar no modelo de assinatura. Portanto, haverá a necessidade de acordos de distribuição com diferentes operadoras de telecomunicações.

Recentemente, a Mediapro anunciou que oferecerá 110 jogos do Brasileirão ao vivo através de um canal no YouTube para França, Holanda, Suíça, Romênia, Hungria, República Tcheca, Eslováquia, Estônia, Letônia, Lituânia, Bulgária, Bielorrússia, Moldávia, Ucrânia, Rússia, Mongólia, Malásia, Brunei, Taiwan, Tailândia, Camboja, Laos, Birmânia, Filipinas, Austrália e Nova Zelândia.