Indústria

Especial | Como a Juventus irá explorar comercialmente sua parceria com a Netflix

Série documental sobre o clube italiano já está no ar na plataforma. Saiba os planos da Vecchia Signora

17 fev, 2018

Por Eduardo Esteves

 

A Netflix colocou no ar na noite de ontem os três primeiros capítulos da “Juventus: Prima Squadra“, fruto do seu acordo de conteúdo com a Juventus que abriu suas portas para a empresa gravar o material com exclusividade. Alguns dos bastidores do acordo foram divulgados recentemente por Federico Palomba, Head of Marketing and Digital da Juve.

Segundo Palomba, partiu da própria Netflix a aproximação. “Eles foram os únicos que vieram nos procurar. Eles queriam fazer um documentário sobre o mundo do futebol. Avaliaram várias opções e nossa história os interessou. E garantimos acesso livre à equipe e ao nosso mundo. Assim chegamos a um acordo”, comentou. Para dar início ao processo de produção, a plataforma dedicou uma equipe exclusiva que viajou até a Itália.

“A equipe de produção da Netflix veio especialmente dos Estados Unidos. As filmagens ocorreram de agosto até o final de dezembro. Os profissionais não filmavam todos os dias, mas estavam freqüentemente conosco. Eles tiveram a oportunidade de estar presentes nas sessões de treinamento e viagens da equipe. Ouve também momentos geralmente difíceis de acessar, como as conversas da comissão técnica e sessões de academia”, lembrou o profissional.

O lado humano dos atletas era um dos focos da Netflix para oferecer aos seus usuários algo absolutamente exclusivo e imersivo, uma chance única de aproximar os fãs da Juventus de seus ídolos. A produção conseguiu, por exemplo, acompanhar alguns dos jogadores levando seus filhos para a escola, no caminho de casa após o treinamento ou até mesmo em compras com a namorada.

Com a série, a Juventus espera chegar até novos consumidores e mercados, muito em função da base de usuários da Netflix estar em um mercado absolutamente estratégico para os europeus. “O valor que vemos é o de estarmos em uma plataforma de mais de 110 milhões de assinantes em todo o mundo. Metade dos quais estão nos Estados Unidos”, destacou Palomba. “As grandes equipas de futebol estão se transformando em empresas de esportes e entretenimento. A Netflix proporciona uma maior abertura”.

Por fim, o pilar ‘internacionalização‘ foi lembrado por Federico Palomba, algo que certamente estará no escopo dos gigantes do continente que poderão seguir o mesmo caminho da Juventu (e também do Manchester City, este em parceria com a Amazon).

“Nós vemos uma oportunidade de exposição de valor incalculável, não tem preço. E também com um produto de alta qualidade. Um dos principais objetivos desta extraordinária oportunidade é crescer globalmente e alcançar novos fãs da Juventus. Prova disso é o fato de despertar o interesse internacional e não apenas da indústria esportiva. Com o documentário, uma comunidade de pessoas do mundo do entretenimento se aproxima da Juventus”, finalizou.