Indústria

JogaMiga lança plataforma de financiamento coletivo dedicada ao futebol feminino

FutebolFeminino.club contará com profissionais de diversas áreas para unir clubes e investidores

29 out, 2020

Patrocinador do Íbis Feminino para o Campeonato Pernambucano deste ano, o JogaMiga ratifica sua posição de desenvolvimento do futebol para mulheres no Brasil ao lançar uma plataforma de financiamento coletivo exclusivo para a categoria.

O FutebolFeminino.club chega ao mercado com um importante diferencial: o seu processo de curadoria. Além disso, a plataforma será aberta para times e clubes femininos, amadores e profissionais, e patrocinadores de todos os tamanhos, pessoa física e jurídica.

“Geralmente os sites de financiamento coletivo atuam apenas como uma ferramenta online para a coleta de dinheiro, o FutebolFeminino.club vai além. Nossa proposta é que todos os cadastrados, clubes e investidores, passem por um pente fino. Assim, além de assegurar a credibilidade dos envolvidos, vamos poder também fazer parcerias mais acertadas, em que a identidade da marca realmente tenha a ver com o projeto no qual ela está injetando e vice-versa”, disse Nayara Perone, fundadora do JogaMiga.

Outras funções do FutebolFeminino.club envolvem suporte jurídico, para garantir que todos os contratos firmados sejam legítimos e isentos de quaisquer problemas, e também uma equipe para buscar ativamente por investidores.

“O JogaMiga em si é um projeto que também não conta com verba, nem financiamento e ainda assim conseguimos viabilizar o patrocínio ao Íbis Feminino. Isso nos faz acreditar na força da comunidade envolvida com o projeto e é contando com essa rede de apoio e nosso trabalho nas redes sociais que seguiremos buscando oportunidades para tornar o futebol de mulheres mais forte e fazer o dinheiro chegar em quem mais precisa”, completou Nayara.

A plataforma funcionará na versão Beta temporariamente, mas já conta com todas as funções e está aberto para cadastramento.

O JogaMiga surgiu inicialmente em 2015 como um time de futebol que disputava campeonatos amadores em São Paulo. Com o passar dos anos, o projeto se desenvolveu e, desde 2017, cria soluções para ampliar o acesso ao esporte e, por meio de atividades em múltiplas áreas: informação, conhecimento e prática, o coletivo conecta meninas e mulheres de todo o Brasil.