Indústria

Como a indústria da Cannabis reergueu o patrimônio de Mike Tyson

Ex-boxeador foi visionário ao investir em um mercado que o ajudou a se reerguer após torrar a fortuna que fez enquanto ainda lutava

28 nov, 2020

Nós já falamos de um período conturbado da carreira de Mike Tyson quando, de uma só vez, perdeu diversos patrocinadores. Por outro lado, vale exaltar que o ex-pugilista foi visionário ao investir em um mercado novo que o ajudou a se reerguer após torrar sua fortuna que o boxe lhe deu. O sucesso atual de suas finanças se deve, principalmente, à maconha.

Com o consumo para fins recreativos liberado no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, desde 2018, Tyson investiu, por meio da “Tyson Holistic”, em produtos relacionados à maconha. A subsidiária mais conhecida desse conglomerado é o “Rancho Tyson” (“Tyson Ranch”).

“Cannabis é um remédio. Nesse momento da inteligência mundial, nesse momento da vida, deveriam saber que cannabis não é uma droga. Independentemente da punição que nos dão, não podemos parar de usá-lo. Não vamos parar”, disse Tyson em uma entrevista à revista canadense Kind. Cabe destacar que as legislações sobre a cannabis mudam de estado para estado.

De acordo com a imprensa americana, no final do ano passado, Mike Tyson embolsava cerca de US$ 500 mil mensais. Em abril de 2020, em seu podcast, o astro afirmou que este número saltou para US$ 1 milhão este ano.

Com tanto sucesso no ramo, Tyson já planeja ampliar os seus negócios relacionados à cannabis. Seu desejo é abrir um resort com hotel, spas e pousadas. Além disso, quer sediar festivais anuais sobre maconha nesse local e fundar a “Universidade Tyson”, com cursos agrícolas para ensinar os alunos a cultivar a planta. Portanto, tudo girará em torno da erva.

No território americano, a Califórnia, Colorado, Oregon, Massachusetts, Washington, Maine, Nevada, Distrito da Columbia, Idaho, Illinois, Kansas, Michigan, Vermont, Alasca e Maine permitem o uso recreativo e a comercialização de maconha. Em outros estados, apenas o uso recreativo é legalizado, são eles: Connecticut, Delaware, Havaí, Maryland, Minnesota, Mississippi, Missouri, Nebraska, Nova Hampshire, Novo México, Nova York, Carolina do Norte, Dakota do Norte, Ohio, Rhode Island, Virgínia.

O retorno de Mike Tyson aos ringues nesta noite contará com o patrocínio da Weedmaps, empresa criou uma solução de tecnologia para conectar pacientes que fazem tratamento medicinal com cannabis.

Como patrocinadora, a Weedmaps desfrutará de ampla visibilidade no evento, que trará três lutas. Sem público, as ativações se limitarão à exposição no ringue, na tela da transmissão ao vivo, no vestiário e na sala de imprensa.

“É ótimo voltar ao ringue depois de 15 anos e estou emocionado que Weedmaps seja o patrocinador principal deste momento notável em minha carreira. Sou um defensor orgulhoso da legalização da cannabis, então esta parceria com a Weedmaps é particularmente importante para mim. Este é um momento significativo para a indústria da cannabis, e estou empenhado em fazer a minha parte para lutar pela mudança”, comemorou Tyson.