Indústria

Pandemia causou impacto de € 5 bilhões no futebol europeu

O levantamento engloba gigantes como Real Madrid, Liverpool, Bayern de Munique, Juventus, Paris Saint-Germain e FC Porto

11 jan, 2021

De acordo com o estudo The European Champions Report 2021, desenvolvido pela KPMG, o impacto da pandemia do coronavírus nos cofres dos clubes europeus foi de € 5 bilhões na temporada 19/20. O levantamento engloba gigantes como Real Madrid, Liverpool, Bayern de Munique, Juventus, Paris Saint-Germain e FC Porto.

Para a KPMG, os torneios adiados ou realizadas com portões fechados contribuíram diretamente com o rombo nos cofres. Além disso, somou-se a incerteza sobre os direitos de transmissão e a continuidade de acordos comerciais existentes.

Os direitos de transmissão representavam € 11.7 bilhões em 2009, saltando para € 21 bilhões em 2018. Desde então, os números incrementaram cerca de 6.87% por ano.

“A crise do coronavírus levantou a questão sobre a sustentabilidade financeira do ecossistema do futebol como um todo, e expôs a sua fragilidade. Até mesmo antes da pandemia, salários inflacionados, combinados com crescentes taxas de transferências e percentuais de agentes, colocavam uma pressão significativa sobre as finanças dos clubes. A crise ampliou as falhas do modelo de negócio”, disse Andrea Sartori, chefe global da área de esportes da KPMG e autor do relatório.

Das equipes analisadas, todas sofreram queda nas receitas. No caso de Juventus, PSG e Porto, a redução foi acima dos 10%. Já Bayern de Munique, Real Madrid e Liverpool conseguiram amenizar os impactos já que fecharam novos acordos de patrocínio no período.

De todos, o mais prejudicado foi o PSG, com uma perda de € 95.4 milhões, além de um prejuízo líquido de € 125.8 milhões. Entre as maiores receitas, o Real Madrid figurou no topo, com € 681.2 milhões.