Sevilla quer oferecer centro de negócios dentro do seu estádio

O clube criou a Sevilla Events e já está consultando seus torcedores para definir um plano de desenvolvimento futuro

maio 19, 2022

O Sevilla tem como objetivo transformar o seu estádio, Ramón Sánchez-Pizjuán, em um centro de negócios. Para ir além dos jogos de futebol, o clube criou a Sevilla Events e já está consultando seus torcedores para definir um plano de desenvolvimento futuro.

Para receber a decisão da Europa League de ontem (18), o estádio, com capacidade para 43 mil pessoas, fez algumas alterações para receber novos espaços e áreas VIP. Agora, o objetivo é que estes espaços sejam utilizados para eventos em geral. O Sevilla Events encaberá o calendário do local para marcar reuniões, conferências, cerimônias, refeições, lançamentos de produtos, team building, entre outras possibilidades.

“Com essas novas instalações, o objetivo é rentabilizar esses espaços e o próprio estádio em dias sem jogos. Estamos apenas começando com isso e temos boas previsões de receita, embora nesta fase prefiramos permanecer cautelosos em vez de gerar expectativas que podem não ser realistas”, disse José María del Nido Carrasco, vice-presidente do clube da Andaluzia.

Mesmo em dias de jogos, o Sevilla tem trabalhado para aproveitar ao máximo suas instalações e aumentar o seu faturamento. O clube já ampliou sua oferta VIP e de hospitalidade, instalou um novo serviço de catering e tornou mais rápido o wifi do estádio.

“O objetivo claro do Sevilla é ter um local que vá muito além de um estádio apenas para receber jogos, pois queremos que seja um edifício vivo, com uso diário, se possível”, acrescentou.

A norte-americana Legends fará um estudo com os torcedores para analisar se o Sevilla deve realizar reformas no Sánchez-Pizjuán ou considerar a construção de um novo estádio.

“Percebemos que saber em primeira mão o que nossos membros e titulares de ingressos de temporada querem é fundamental quando se trata de decidir o que queremos. Eles são os que vão ao estádio regularmente, então saber o que eles querem nos ajudará a tomar decisões”, finalizou Carrasco.