Futebol

Insatisfeitos, clubes da Premier League exigem reunião após venda do Newcastle

Toda as demais equipes da liga são contra a entrada do consórcio saudita e temem bolha de transferências

11 out, 2021

A venda do Newcastle para um consórcio da Arábia Saudita não caiu no gosto dos demais clubes da Premier League. Os dezenove times que estão atualmente na elite inglesa exigiram uma reunião emergencial após o negócio envolvendo os Magpies.

Segundo o The Guardian, eles exigem saber o motivo da venda ter sido aprovada, em uma mudança de posicionamento em tão pouco tempo. Vale lembrar que, em 2020, a negociação havia sido reprovada pela Premier League.

Os clubes alegam que a entrada do Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita (PIF) possa prejudicar a imagem do futebol inglês no âmbito global, principalmente porque o negócio foi criticado por grupos de direitos humanos, como a Anistia Internacional. Há ainda um alerta para um possível aumento de salários e transferências, já que de acordo com o Daily Telegraph o orçamento previsto para buscar jogadores, em um primeiro momento, será de € 200 milhões.

Por fim, há ainda uma revolta entre as equipes por não terem sido informadas da venda, sabendo inicialmente pela mídia. Mesmo com o investimento da Arábia Saudita levando questões importantes sobre lavagem de dinheiro, utilizar o futebol para esconder ações controversas e direitos humanos, uma pesquisa conduzida pelo Newcastle United Supporters Trust (NUST) mostrou que 93,8% dos torcedores desejavam a venda do clube.

O Newcastle foi vendido na última semana colocando fim a um período de 14 anos de gestão de Mike Ashley. Um consórcio financiado pela Arábia Saudita (PIF), liderado por Amanda Staveley, uma conhecida empresária britânica, adquiriu 80% da equipe da Premier League por £ 305 milhões. Foram longos 18 meses de negociação. O PIF acumula uma fortuna de mais de £ 320 bilhões, 10 vezes mais que Nasser Al-Khelaifi, dono do PSG.

Agora, ocorrerá uma “dança das cadeiras” no time. Yasir Al-Rumayyan, representante do Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita (PIF), será presidente estatutário. Amanda Staveley, presidente-executiva da PCP Capital Partners, fará parte do conselho. Por fim, Jamie Reuben, da RB Sports e Media, empresa investidora do fundo, será um dos diretores da equipe.

Por meio do PIF, a Arábia Saudita investe cada vez mais em esporte. O país desembolsou milhões para levar para Riad supercopas da Itália e da Espanha, além do Rally Dakar. A própria Fórmula 1 priorizou o dinheiro e fechou com os sauditas para realizar um GP no país a partir deste ano.