Após comprar Activision Blizzard, Microsoft demite 1.900 funcionários do seu departamento de jogos

Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming, justificou os cortes em massa como "uma estratégia e um plano de custos sustentável"

janeiro 26, 2024

A Microsoft anunciou a demissão de 1.900 funcionários, distribuídos entre a Activision Blizzard, que ela comprou recentemente, e a equipe de jogos da empresa, que é proprietária da marca Xbox.

Phil Spencer, CEO da Microsoft Gaming, assinou o memorando. Fruto deste movimento, Mike Ybarra, presidente da Blizzard, e Allen Adham, diretor de design da Blizzard, decidiram deixar a empresa.

Dias antes, a Riot Games já havia anunciado a demissão de 530 demissões em vários mercados, incluindo o Brasil.

Por fim, um novo jogo de sobrevivência ainda sem título da Blizzard foi cancelado, uma vez que a empresa quer “mudar algumas das pessoas que trabalham nele” para outros projetos em estágios iniciais de desenvolvimento.

“À medida que avançamos em 2024, a liderança da Microsoft Gaming e da Activision Blizzard está comprometida em alinhar uma estratégia e um plano de execução com uma estrutura de custos sustentável que apoiará todo o nosso negócio em crescimento”, disse Phil Spencer, em entrevista ao portal The Verge.

Aquisição da Blizzard

A Microsoft comprou a Activision Blizzard no final de 2023 por US$ 75 bilhões.

A Activision Blizzard é a controladora das organizações de eSports Major League Gaming, Overwatch League e Call of Duty League, e também possui franquias de jogos líderes de mercado como Warcraft, Overwatch e Call of Duty.

A Activision Blizzard possui quase 400 milhões de jogadores ativos mensais de seus jogos em 190 países.

Compartilhe: