Globo está na lista de empresas que desejam licença para operar apostas no Brasil

Grupo de comunicação, por meio da DFS Entretenimento LTDA, está entre as 134 empresas que manifestaram interesse ao Ministério da Fazenda

fevereiro 2, 2024

O Grupo Globo está na lista das 134 empresas que manifestaram interesse de entrar no setor de apostas esportivas. Vale lembrar que a regulamentação foi sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no final do ano passado.

As manifestações foram encaminhadas ao Ministério da Fazenda após publicação da Portaria Normativa 1.330/2023, datada de 27 de outubro de 2023. Neste caso, ela foi feita pela DFS Entretenimento LTDA, responsável pela gestão dos produtos de fantasy game do Grupo Globo, como o Cartola e o Cartola Express.

“A DFS, empresa do Grupo Globo, está atenta a novas oportunidades de negócio. A partir da nova regulamentação, a empresa está estudando o potencial do segmento de apostas esportivas no Brasil, assim como uma possível evolução do segmento de fantasy”, destacou a companhia.

A regulamentação das apostas no país

No final do ano passado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou parcialmente a lei que regulamenta e prevê uma taxação sobre as apostas esportivas on-line, o que inclui jogos virtuais esportivos e não esportivos, como cassinos e bingos on-line. O Ministério da Fazenda terá seis meses para criar os marcos regulatórios para a lei funcionar.

As companhias que quiserem se regularizar também precisarão pagar uma outorga de R$ 30 milhões, que valerá por cinco anos. Para elas, serão cobrados 12% sobre a arrecadação. A alíquota incidirá sobre o GGR (gross gaming revenue, na sigla em inglês), que é a receita obtida com os jogos, subtraídos os prêmios pagos aos apostadores.

Além disso, as empresas precisarão ter sede no Brasil e deverão, necessariamente, ter um escritório no país.

Com a aprovação da Lei das Apostas, a expectativa é de que o governo fature mais de R$ 3 bilhões por ano apenas com impostos.

Compartilhe: