Reeleito, Julio Casares é empossado para segundo mandato na presidência do São Paulo

Casares não teve oposição na eleição, realizada em 8 de dezembro, na qual foi candidato único

janeiro 2, 2024

Em reunião do Conselho Deliberativo realizada no primeiro dia do ano, Julio Casares e Harry Massis foram empossados como presidente e vice-presidente, respectivamente, da Diretoria do São Paulo.

Casares, que assumiu a presidência do clube em janeiro de 2021 para suceder a Carlos Augusto de Barros e Silva (Leco), encerrou seu primeiro mandato no Tricolor no final de 2023 e foi reeleito para o triênio 2024/2026.

“Há três anos eu dizia que a preocupação não era apenas deixar um quadro na parede, mas deixar um legado. Acho que nesses três anos nós encontramos um caminho. Nós assumimos com uma dificuldade da pandemia, uma incerteza quanto às dívidas, mas o futebol respondeu. Em 2023, o torcedor compareceu, quebrou todos os recordes de bilheteria e nos deu a cumplicidade. Quero cumprimentar todas as áreas e diretorias. A gestão continua e tenho convicção de que o São Paulo tem muito a percorrer”, disse o presidente.

Casares não teve oposição na eleição, realizada em 8 de dezembro, na qual foi candidato único. Ele recebeu 194 votos (além de 30 votos em branco e 10 nulos).

São Paulo inicia temporada 2024 fortalecido comercialmente

Poucos meses antes de terminar o seu mandato, Julio Casares anunciou uma série de novidades para fortalecer a marca São Paulo. Para o fornecimento de material esportivo, o clube oficializou a chegada da New Balance. Para o máster, a Superbet será anunciada em breve.

São Paulo ainda fechou com a Mondelēz a venda de naming rights do Morumbi por três anos. O negócio prevê que o estádio passe a ser chamado “Morumbis”. Isso porque o chocolate Bis faz parte do portfólio do grupo americano.

Ainda para o Morumbi, o São Paulo concretizou um acordo de exclusividade com a Live Nation, produtora referência mundial, para que o estádio receba diversos eventos liderados pela empresa pelos próximos cinco anos. Pelo contrato, o Tricolor receberá um total de R$ 60 milhões para ceder a sua casa. O acordo contempla ainda uma receita variável de acordo com a exploração comercial dos eventos.

Compartilhe: