Indústria

Executivo do The Guardian é o novo CEO da Premier League

David Pemsel, executivo-chefe do Guardian Media Group, comandará as estratégias domésticas e globais da liga inglesa

2 out, 2019

A nova acabou: após uma busca incansável, que contou até mesmo com uma desistência, a Premier League anunciou David Pemsel, executivo-chefe do Guardian Media Group, proprietário do jornal The Guardian, como novo CEO.

O profissional de 51 anos, que também passou pelo The Observer, assumirá a posição em abril do ano que vem. Richard Masters continuará como interino até lá. Sua candidatura foi aprovada por unanimidade em uma reunião extraordinária de acionistas realizada nesta quarta-feira. No ano passado, Susanna Dinnage foi confirmada para assumir o lugar de Richard Scudamore, mas optou por permanecer na Discovery, onde é presidente global do canal Animal Planet. Logo em seguida, a BBC confirmou que Tim Davie, executivo-chefe da divisão comercial da BBC Studios, também recusou a oportunidade oferecida.

“Estou emocionado por ter sido oferecida esta oportunidade incrível. A Premier League é a liga de futebol mais assistida do mundo e estou muito animado por ser uma parte essencial disso. Como fã de futebol, entendo a importância do jogo para os torcedores e nossa identidade nacional e tenho a honra de assumir o comando de uma organização tão influente e prestigiada”, comemorou Pemsel.

Sobre o novo profissional, Pemsel é ex-diretor de marketing de grupo da ITV; parceiro da agora extinta agência de publicidade Boymeetsgirl; diretor e sócio da produtora de TV e de filmes Shine; e sócio-gerente da St Luke’s Communications, com clientes como Sky e BBC. Ele entrou no Guardian Media Group em 2011, sendo promovido ao cargo de diretor executivo em 2015. Segundo a Premier League, ele “liderou a transformação da empresa em uma marca de mídia mais digital e internacional e supervisionou os primeiros lucros operacionais da organização em seus negócios de notícias por 20 anos, gerando receitas recordes em 2019”.

“No Guardian, ele demonstrou forte liderança durante um período de mudança e transformação. Retornar o grupo ao lucro é uma conquista impressionante e demonstrou que ele pode desenvolver e executar um plano de transformação em um cenário de negócios em constante mudança. Além disso, ele trabalhou com grandes players em mídia digital e gerenciou diversos grupos e grupos constituintes”, disse Bruce Buck, presidente do Chelsea e presidente do Comitê de Nomeações da Premier League.

O desafio de Pemsel será grande, afinal, Richard Scudamore foi contratado em novembro de 1999 e desempenhou um papel fundamental na condução do crescimento da liga não somente no Reino Unido, mas também no mundo. Quando assumiu, os direitos domésticos da Premier League haviam sido vendidos por £ 670 milhões. Agora, após quase duas décadas, o Scudamore deixou a liga tendo negociado todos os sete pacotes para o Reino Unido para o período até 2022 por £ 5.14 bilhões.